sábado, 11 de junho de 2016

Reflexões acerca do ensino e da aprendizagem de Álgebra Linear

Faremos algumas discussões acerca de pesquisas que retratam as dificuldades que os estudantes de graduação têm ao estudar a disciplina Álgebra Linear.
Podemos destacar de maneira relevante que mesmo para os estudantes de matemática é notável o alto grau de dificuldade em cursos introdutório de Álgebra Linear, destacando que isso se deve ao elevado nível de abstração com que se abordam os assuntos, o que acaba impedindo o entendimento de conceitos fundamentais para futura utilização em disciplinas futuras.
Assim ressaltamos a importância de abordarmos conteúdos como estes, com caráter realístico juntamente com situações plausíveis, criando situações reais onde possam ser aplicados os conteúdos estudados. Acteditamos que a Aprendizagem Baseada em Problemas pode auxiliar na construção dos conhecimentos desta disciplina.

Equipe WINNERS- Gincana Virtual Caraguatatuba

Pessoal eu e meus alunos estamos participando de uma Gincana, na qual participa algumas escolas da rede municipal de Caraguatatuba. Venho através desta publicação,  pedir a todos que tem facebook que entrem em cada um dos links abaixo, onde constam duas tarefas realizadas pela equipe que coordeno, que são elas: Tocha Olímpica e Guia Turístico. Para ganharmos pontos basta vc curtir e compartilhar cada uma das tarefas abaixo.

https://m.facebook.com/gincanavirtualcaragua/photos/a.539538906157507.1073741828.536456873132377/905242146253846/?type=3&fs=5


https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=904783296299731&id=536456873132377&fs=5


domingo, 22 de novembro de 2015

Exercícios diversos

1) Seja N um número natural, qual é o valor de Ñ sabendo que Ñ multiplicado por N é igual a 625?


2) Seu Casemiro é pedreiro. Ele está construindo um piso quadrado formado por lajotas quadradas e pretende usar ao todo 225 lajotas. Quantas lajotas cabem em cada lateral?


3) Determine qual é o próximo número de cada sequência :

a) ( 1, 2, 4, 8, 16, 33,     )
b) ( 4, 9, 14, 19, 24, 29,    )
c) ( 7, 14, 21, 28, 35,    )

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Modelagem Matemática

Segundo, Bassanezi ( 2002): “ A modelagem matemática consiste essencialmente na arte de transformar problemas da realidade e resolve-los, interpretando suas soluções na linguagem do mundo real.” ( Apud Arthur Gonçalves, p. 2)
            A modelagem permite a matemática uma aplicação em situações do cotidiano, fazendo um papel importante no processo de escolarização do individuo, pois permite uma aprendizagem significativa.
            De acordo com  Arthur Gonçalves e Adilson ( ):

“ (..) a modelagem matemática é indicada para tentar superar a crise no ensino, pois é capaz de responder a pergunta que tanto atrapalha o processo de ensino de matemática; Porque tenho que aprender isso? Apresentando uma forma de construção de conhecimento que flui de maneira natural e não por  imposição, facilitando o entendimento e as relações com o cotidiano do aluno.” (p. 11)

            Assim, a modelagem como método de ensino, proporciona ao aluno, ao professor, uma aprendizagem mais significativa e motivadora, pois possibilita o aprendizado de conteúdos matemáticos interligados aos de outras ciências, propiciando assim uma atitude interdisciplinar frente ao ensino/aprendizagem de matemática. Ela pode ser entendida como uma tendência que viabiliza a interação da matemática com a realidade, além de uma abordagem de um problema aparentemente não matemático por meio da matemática onde em que são usadas como estratégia as hipóteses aumentando assim a capacidade de investigação do aluno em relação ao assunto trabalhado, tornando-o mais crítico e independente.
            Acreditamos que só é possível um grande aproveitamento do conhecimento matemático adquirido pelo aluno, quando este, está ligado inteiramente a uma prática construída dentro de um contexto social e que reflete no aluno como um cidadão capaz de torná-la indispensável e coerente a suas idéias.

            A modelagem  oferece  algumas  contribuições , entre elas, é a interação do indivíduo na sociedade em que ele vive, podendo, visualizar melhor a realidade que o cerca. 

Mais Exercícios

1) Temos um triângulo equilátero de lado 6cm. Qual é o perímetro e qual é a área deste triângulo?




2) Sabendo que a área de um quadrado é 36cm², qual é seu perímetro?





3) Um trapézio tem a base menor igual a 2, a base maior igual a 3 e a altura igual a 10. Qual a área deste trapézio?




Exercícios de Área

1) Determine a área das seguintes figuras (em cm):
a)exercicio_geometria.GIF (2258 bytes)b)   exercicio_geometria1.GIF (2219 bytes)



exercicio_geometria2.GIF (1930 bytes)
d) exercicio_geometria4.GIF (1801 bytes)










domingo, 12 de abril de 2015

Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL)

Atualmente estou desenvolvendo uma pesquisa juntamente com meu orientador Rogério, no programa do Mestrado Profissional no Ensino de Ciências e Matemática no IFSP-SP a pesquisa teve inicio em 08/2014.
Abordaremos aqui a metodologia que utilizaremos em nosso trabalho o PBL.


A aprendizagem Baseada em Problemas (PBL) é uma metodologia de ensino aprendizagem que utiliza problemas coerentes para com a futura atuação dos alunos como profissionais e cidadãos para iniciar e, enfocar e motivar a aprendizagem dos conhecimentos conceituais, procedimentais e atitudinais objetivados.
A aprendizagem não pode ser vista como um processo de recepção passiva e acumulação de informações, mas como construção de conhecimento. Por acreditarmos que a aprendizagem baseada em problemas (PBL) proporciona aos alunos a construção de seus conhecimentos resolvemos utilizá-la em nossa pesquisa.
            De acordo com Filho e Ribeiro(2008):


“ O PBL, como outros métodos construtivistas, está pautado no pressuposto de que o conhecimento de pesquisas educacionais, especialmente na área da psicologia cognitiva, que indicam que o trabalho dos alunos com a vida real, particularmente em grupos, favorece a aprendizagem.”   (Pág 24)


Nessa metodologia os alunos são divididos por pequenos grupos mediados por um tutor afim de facilitar a aprendizagem dos alunos, é proposto um problema, os alunos discutem com os demais integrantes dos grupos, tem a socialização com os outros grupos e só após o tutor apresenta alguns conceitos que podem ser útil para a solução.
É uma metodologia centrada no aluno, propiciando ao mesmo a construção do conhecimento pelo individuo e por suas relações sociais com o meio.